terça-feira, 11 de agosto de 2009

Pra Sol

Seus braços abertos assim...
Sinto teus raios
Teus olhos apertados assim...
Amor de criança, de ser amado
Sorriso gostoso e como é bom sentir teu abraço
Tuas ruas, tua vida, coisinhas tão tímidas
Seu tamanho de astro, sua imponente grandiosidade
Que não acho na minha estrada
Sol, carrego você e tua voz na despedida
Num lugar tão dentro, posto que tão querida
No meu coração não há mais espaço
Não deixou brechas, não existe mais saída
Sol, ser que agora dorme ou brinca
Te amo como teu irmão que não existe
Teu mano, como você me diz
Anda pela vida vai
Leva consigo toda felicidade que lhe for concedida
Porque és flor, és menina,és luz, és maravilha
Não te esqueço, apenas não apareço
Pois este agora é o preço
Mas por ti fica meu apreço, meu anjo, meu lugar bom
Sou todo um novo que não me conheço
Acordo agora nos dias sentindo falta
Mas corro para rua e nos teus braços
Sol querida, feliz sorrio, quando me aqueço

Um comentário:

Grandinetti disse...

que lindo Teo.....
que saudadesssssss